Meu cão pede atenção o tempo todo. O que fazer? 1

Meu cão pede atenção o tempo todo. O que fazer? Deixe um comentário

Muita gente cai na armadilha de que cachorro cansado, é cachorro feliz. E é bastante comum nos depararmos com pessoas se queixando de que mesmo dando atenção e atividades, ele parece nunca estar satisfeito, nunca parece “gastar essa energia”, e isso tem explicação!

Já é sabido que cães precisam de atividade física e estímulos para que se mantenham saudáveis e equilibrados, certo? Todavia, quando damos atividades e interações demais, sem dar ao cão a possibilidade de descansar e relaxar, ele pode ficar confuso, ansioso e hiper estimulado. Ao focarmos apenas em brincadeiras e exercícios físicos, deixamos o cão adquirir mais condicionamento físico. Ou seja, quanto mais fizer, mais resistente ele fica e mais vai demandar!

Ainda, nos contextos atuais onde o cão mora e divide espaços da casa, não fica muito claro quando e onde as atividades irão acontecer e sem perceber, passamos o dia inteiro interagindo com o cão, deixando-o dependente de atenção o tempo inteiro.

Mas, calma aí! Então não devo proporcionar passeios, não devo fazer meu cachorro correr, nem brincar? Sim, você deve! Porém o importante aqui é entender que sem uma rotina e comunicação minimamente estabelecida, sem o devido descanso e a interrupção da nossa interação com ele em alguns momentos, acabamos criando um cão ansioso que não consegue ficar parado e/ou sem nossa atenção.

A proposta deve ser buscar um equilíbrio e não focar apenas em atividades onde o foco seja exercício físico. Atividades mentais, como treinar comandos, ou até mesmo enriquecimento ambiental, são formas sadias e desejáveis para uma rotina de qualquer cachorro.

Ideias simples como esconder comida para estimular o faro, deixam o cão estimulado, ocupado e focado. Atividades mentais os ajudam a treinar o cérebro e sim, elas também cansam e ajudam no relaxamento!

Cães que só interagem com os tutores em brincadeiras, tendem a ter uma interação social agitada e ansiosa. Treinar comandos e truques como o deita e o fica, aumentando gradativamente a duração, é uma ótima forma de iniciar uma interação mais passiva e relaxada!

Ainda, é super importante que o tutor perceba que não é interessante falar e interagir com o cão o tempo todo pela casa. Na verdade, o importante é equilibrar e também estimular o relaxamento e independência dele. Não interagir com seu cãozinho em determinados momentos (enquanto cozinha, enquanto está no computador – por exemplo), são rotinas importantes para que ele consiga desligar do tutor e vice-versa.

Tais atitudes ajudam a reduzir drasticamente problemas relacionados a hiper apego, como a ansiedade por separação. Fazendo isso, nos livramos também daqueles incômodos quando o cão nos pede atenção em momentos onde não é possível atendê-lo, como quando estamos ao telefone, trabalhando ou fazendo exercícios, por exemplo.

Abaixo deixamos algumas dicas práticas para que você comece agora a implementar na sua rotina:

Anunciar as atividades: Já percebeu que seu cão antecipa o que vai fazer só observando onde você vai? É preferível que chame seu cão para passear, brincar, comer ou treinar anunciando a atividade antes de ir ao encontro dos elementos que os representam (pegar na coleira, ir no armário dos petiscos…). Isso causa previsibilidade e ele saberá o que vai fazer, minimizando a expectativa.

Comida, brincadeira e treino avisamos que acabaram dizendo “chega” (pra ele saber que as atividades começam e terminam). Após dizer “chega” é importante interromper a interação pro cão entender a ação que essa palavra significa. Se você diz “chega”, mas continua interagindo, essa palavra perde o significado pra ele.

Aprenda a notá-lo quando está mais quieto e menos quando agitado pedindo: Ao anunciar as atividades, na medida do possível e em grande maioria, faça isso com seu cão desencanado, relaxado e tranquilo. Assim, aos poucos ele aprende que não precisa ficar pedindo tanto e caso fique, terá menos chances de conseguir
quando está ansioso.

Observar que as nossas interações com os cães influenciam em seus estados emocionais é fundamental para adquirirmos mais consciência de nossa responsabilidade pela maioria de nossas queixas.

Cães percebem nossas movimentações, antecipam eventos e ficam extremamente ansiosos se não entendem quando eles ocorrem. Na verdade, eles lidam muito bem com um contexto mais previsível e adoram uma rotina estabelecida. Toda mudança brusca deve ser habituada gradativamente, para que o cão consiga absorver e se adaptar.

Lembre-se: somos espécies diferentes. Aprender como os cães enxergam o mundo é parte fundamental na nossa relação com eles e é a maior prova de amor que você pode oferecer pro seu melhor amigo.

Deixe um comentário