Como preparar seu cachorro para a chegada do bebê

Como preparar seu cachorro para a chegada do bebê Deixe um comentário

Como preparar seu cachorro para a chegada do bebê? Essa é uma das maiores buscas por consultorias que recebemos: a chegada de um bebê na família e a preocupação em preparar o animal e o ambiente para essa nova convivência.

A chegada de um bebê é sempre um evento que vem desde a data da confirmação da gravidez e tudo começa a mudar a partir daí, ainda que em passos bem lentos, ainda que mês a mês. A futura mamãe começa a ter um dia a dia mais atarefado de médicos, exames, toda a alteração fisiológica do organismo (enjoos, inchados…), principalmente nos primeiros e últimos meses, preparação de quarto, chegada de coisas novas, como berço, poltrona, cheiros diferentes e demais preocupações, podendo ser notado pelo animal.

Desde a confirmação até o nascimento, muitas coisas mudam no ambiente em que o cão está inserido e como sabemos o ambiente também exerce uma influência na vida não só dos humanos, mas dos animais também. Alguns cachorros tem essa percepção mais rápida que outros, alguns não tão sensíveis e demoram um pouco mais para notar tanta alteração.

Com a chegada de um irmão (ã) humano, isso pode interferir a rotina do cão. O cão, que antes tinha sua rotina toda intocável, agora pode ter mudanças, isto porque o tempo que era reservado para ele, passará a ter outras atribuições com a chegada do novo integrante da família.

Luiza Guedes, tutora de 4 cachorras e da pequena Liz de apenas três meses de nascida, contou que durante o período de gestação, nada mudou na vida das meninas, porém, após o nascimento de Liz, os passeios que também eram responsabilidade dela, agora estão sendo realizados somente com o pai, Pedro, tentando ao máximo manter a rotina.

Após a chegada da bebê, a rotina de passeios infelizmente mudou, já que eu fazia os passeios com ela diariamente, agora é Pedro quem cuida dessa parte. Agora que estamos no terceiro mês, tenho expectativa de voltar ao normal. Os demais aspectos seguem iguais.

Luiza, tutora de 4 cachorras e mãe de Liz

A chegada de um bebê não deveria significar a diminuição da qualidade de vida de um cão. Apesar da dificuldade em conciliar a rotina da chegada de um bebê às demandas dos cães, deve-se buscar ao máximo um equilíbrio.

Como sempre destacamos, há uma crescente preocupação com o suprimento das necessidades básicas dos animais, o que chamamos de Bem Estar Animal ou simplesmente BEA. Essas necessidades básicas precisarão continuar sendo supridas, para que a chegada do novo integrante da família não implique em uma perda na qualidade de vida do animal já residente.

Mas como conseguir manter o bem estar (BEA) sem se perder na organização? Eu imagino a loucura que fica a vida de todos da família com a chegada de um bebê em casa e imagino como deva ficar a cabecinha de um cão, por isso, a nossa sugestão é sempre que a família organize o planner e nele coloque todas as atividades do animal, organizando por dias da semana de maneira bem acessível.

Exemplo:

SEGUNDA FEIRA
MANHÃ – PASSEIO + COMIDA EM COMEDOURO LENTO + TREINOS TARDE – TAPETE DE FUÇAR
NOITE- PASSEIO + COMIDA EM DISPENSER
ANTES DE DORMIR – MUSICOTERAPIA E MASSAGEM RELAXANTE

Esse planner acima é exemplificativo, ele deverá ser feito de acordo com a demanda de individual de cada animal e da disponibilidade de cada família, se não há ninguém em casa no período da tarde, dificilmente poderá ser feito sessões de treinos, por exemplo.

O ideal é que esse planner seja fixado em algum lugar que possa ser notado por todos, como na porta da geladeira. O objetivo do planner é fazer com que essa rotina seja sempre mantida, independente de quem possa realizar as atividades. O planner poderá ser seguido desde a presença de um familiar que está em casa ou até pelos próprios tutores.

Desta maneira, organizando a rotina do animal e garantindo que ela não vá sofrer drásticas alterações com a chegada do bebê podemos garantir uma parte da adaptação dessa nova chegada. Outro fator importante é adaptar essa nova convivência, mas para isso seria prudente buscar um profissional de confiança para que possa garantir de maneira positiva e saudável essa harmonia.

Algumas medidas podem ser tomadas pelo profissional, como adaptação aos cheiros (amaciantes, colônias, shampoos…), barulhos de choros de bebês, movimentação durante a amamentação, movimentação de carrinho de bebês, entre outros fatores importantes que esse profissional irá observar a julgar necessários para a melhor convivência dessa família, buscando sempre uma melhor convivência com todos.

Bons treinos.

Deixe uma resposta